24 de fev de 2016

As Luzes de Setembro (Trilogia da Névoa #3) | resenha.




Desde meu primeiro contato com Zafón, me apaixonei por ele. Devorei os livros do Cemitério dos Livros Esquecidos, Marina se tornou uma das minhas histórias preferidas, porém da Trilogia da Névoa li apenas As Luzes de Setembro (os outros dois estão na minha lista de leitura para este ano).
Zafón sabe como prender um leitor por uma madrugada inteira e sabe dar a seus livros "doses homeopáticas" de elementos que fazem uma história inesquecível: amor, ódio, vingança, alegria e horror. É maravilhoso como ele cria um elo entre fantasia e realidade sem se perder em sua imaginação. 





" Cuidado olhinho o que vê... " 




"Durante o verão de 1937, Simone Sauvelle fica de repente viúva e abandona Paris com seus filhos: Irene, a mais velha e o caçula Dorian. Eles se mudam para uma cidadezinha no litoral e Simone começa a trabalhar como governanta para Lazarus Jann, um fabricante que mora na mansão Cravenmoore, com sua esposa doente e acamada."










Os Sauvelle foram pegos de surpresa com a morte do patriarca da família: Armand,  um homem doce, alegre, amoroso, mas atolado em dívidas. Como infelizmente alguém tinha que pagar, sobrou para a viúva e seus dois filhos trabalharem (e muito) para saldar a dívida. Porém, nem só de credores vivia Paris, um velho amigo da família ofereceu-lhes a possibilidade de mudar-se para uma cidadezinha litorânea. Lá um inventor/fabricante de brinquedos vivia para cuidar de sua esposa, que segundo ele, contraiu uma doença terrível, da qual passava em repouso absoluto, por isso precisava de uma governanta para cuidar de documentos, correspondências e compras. 
Assim que chegaram em Baía Azul, foram presenteados com uma vista maravilhosa. Depois de tanto tempo sofrendo na cinzenta Paris, finalmente encontraram-se desfrutando de sol, pessoas tranquilas, passarinhos e uma praia quase paradisíaca.
Larazus Jann é um inventor/fabricante de brinquedos maravilhoso, em todos os sentidos. Muito polido e educado, os Sauvelle afeiçoaram-se com ele de cara. Depois de se instalarem na Casa do Cabo, que por Lazarus foi cedida, foram jantar na casa do sr. Jann, para melhor conhecê-lo. Cravenmoore, a mansão de Jann, ficava dentro de um bosque com árvores altas e sombrias, principalmente à noite. Ao chegarem na mansão, foram recebidos por Christian, um autômato similar a um mordomo, e logo em seguida por fim conheceram Lazarus Jann. A mansão era repleta de suas criações, não havia um espaço em que não houvesse a marca de Lazarus, tudo era bizarro demais e lindo demais. Demais
Durante o jantar, depois de todas as formalidades o inventor/fabricante de brinquedos explicou a senhora Sauvelle suas obrigações e tarefas. Apesar de não comercializar suas criações, ainda ia ocasionalmente à fábrica de brinquedos (que era um anexo de Cravenmoore), tanto ela quanto os andares superiores eram estritamente proibidos, principalmente a ala oeste da mansão, aonde sua esposa repousava.

"- Não podemos acreditar em tudo o que vemos. A imagem que nossos olhos formam da realidade é apenas uma ilusão de ótica - Comentou - A luz é uma grande mentirosa."

Entretanto nem só de fábricas macabras de brinquedos vivia Baía Azul. Foi aí que Irene, a filha mais velha, conheceu Ismael. Um rapaz quase de sua idade por quem logo se apaixonou - e a recíproca foi verdadeira. Os jovens logo descobriram que queriam passar mais tempo um com o outro, dando vários passeios pelas águas salgadas de Baía Azul. Foi aí que Ismael contou a lenda local para Irene Sauvelle: Ao longe havia uma ilha com um farol. Ele foi desativado após algumas pessoas verem estranhas luzes "passeando" por lá, mas isso só acontecia uma vez ao ano, em setembro, mês que supostamente uma mulher mascarada fugiu para lá. Até hoje ninguém sabe o porque ou quem era a bela dama. Irene não sabia se estava mais encantada com a história ou com Ismael, mas parece que quando tudo dava certo para os Sauvelle, algo (ou alguma força) fazia dar errado. 

Hannah era a cozinheira de Cravenmoore, prima de Ismael e amiga de Irene - foi ela quem os apresentou. Ela dormia em Cravenmoore durante a semana e às sextas-feiras ia até a cidade ficar com sua família. Porém um belo dia, Hannah desapareceu. O corpo foi encontrado dias depois. 

Com a morte de Hannah, Ismael fechou-se para o mundo e o desejo de vingança pairava sobre ele. Nenhuma explicação era boa o bastante. Hannah foi encontrada de roupas de dormir, pés sujos e teve parada cardíaca. A menina morreu de medo, literalmente. Por quê? O que será que ela  viu? 
Disposta a ajudar o namorado, Irene reúne toda sua coragem e junto com Ismael (numa noite de lua cheia, repleta de acontecimentos estranhos) entram no coração gelado e sombrio de Cravenmoore. 
E você, será que tem coragem de desvendar esse mistério?

"(...) Num mundo de luzes e sombra, todos nós, cada um de nós precisa encontrar seu próprio caminho."

***

Ao todo li cinco obras de Zafón e todas me impactaram positivamente. O que mais gosto nele, é a forma de introduzir histórias e personagens de seus romances anteriores de uma forma sutil, mas gostosa de ler. Particularmente, adoro essas conexões. Me sinto íntima dos personagens. 

Junto com o Príncipe da Névoa (1993) e Palácio da Meia-Noite (1994), As Luzes de Setembro (1995), formam a Trilogia da Névoa: todos eles se conectam, mas são histórias completamente distintas, unidas por um elemento. 



Título Original: Las Luces De Septiembre
Autor: Carlos Ruiz Zafón
Data de Publicação: 2013 
Número de Páginas: 231
Classificação: Literatura Espanhola; Romance 
Editora: Suma de Letras 
Aonde Comprar:

4 comentários :

  1. Definitivamente preciso ler esse livro! Devorei as palavras lendo a resenha haha. Fiquei curiosa para saber o que irá acontecer.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E com certeza vai devorar o livro também. É tão gostoso de ler, que você vai perder a noção do tempo.

      Beijocas

      Excluir
  2. Eu só li "A sombra do vento", até agora, mas tenho os outros dois. Em breve lerei, mas curti muito a história. *_*
    Seguindo o blog!

    Beijos,
    Postando Trechos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaaaah, a Sombra do Vento é tão lindo!
      Se você ler "As Luzes de Setembro", vai encontrar pessoas beeem conhecidas na história!

      Obrigada por seguir,
      Beijocas.

      Excluir