3 de mar de 2016

A Menina Que Não Sabia Ler | resenha.





Geralmente minhas resenhas são de livros que eu gosto muito e que além da  própria história em suas páginas, uma outra história em como ele chegou até minha escrivaninha e como me marcou. 
Sinto-lhes em dizer que o livro de que vou falar não tem um história peculiar e muito menos é um livro que eu acho bom. Entretanto tem sim uma história - que tinha tudo para ser "A" história - e a história de como ele me foi apresentado. 
Lançado em 2010, A Menina Que Não Sabia Ler chegou em minhas mãos em meados de setembro de 2011. O título e a capa me atraíram, tanto quanto sua sinópse, instintivamente liguei o nome ao livro "A Menina Que Roubava Livros", o meu livro favorito no mundo, porém como o velho ditado já diz "nunca julgue um livro pela capa", não bastou algumas páginas para que eu desejasse meu dinheiro de volta. 


AVISO: as opiniões contidas aqui são totalmente de minha responsabilidade. O que muitas vezes não é bom para mim, pode ser excelente para outras pessoas. Ah, e se você já leu, gostaria de saber sua opinião. Caso não tenha lido, não desanime, tire suas próprias conclusões. 

Memórias de Uma Assassina 

"1891. Nova Inglaterra. Em uma distante e escura mansão, onde nada é o que parece, a pequena Florence é negligenciada pelo seu tutor e tio. Guardada como um brinquedo, a menina passa seus dias perambulando pelos corredores e inventando histórias que conta a si mesma, em uma rotina tediosa e desinteressante. Até que um dia Florence encontra a biblioteca proibida da mansão. E passa a devorar os livros em segredo. Mas existem mistérios naquela casa que jamais deveriam ser revelados. Quem eram seus pais? Por que Florence sonha sempre com uma misteriosa mulher ameaçando Giles, seu irmão caçula? O que esconde a Srta. Taylor? E por que o tio a proibiu de ler? Florence precisa reunir todas as pistas possíveis e encontrar respostas que ajudem a defender seu irmão e preservar sua paixão secreta pelos livros - únicos companheiros e confidentes - antes que alguém descubra quem ousou abrir as portas do mundo literário. Ou será que tudo isso não seria somente delírios de uma jovem com muita imaginação?"

Esse parece ser o prólogo de uma história misteriosa e fascinante, mas como já foi dito, "nada é o que parece ser". 
Blite House é uma mansão enorme e pelo que eu imagino, deve ser feita de blocos de pedra. Abriga vários quartos desabitados (o autor deve ter se perdido em um deles, já que são tantos), passagens secretas poços sem fundos e quatro torres. Conta com quatro funcionários: a governanta e mais três criados. Florence e Giles são dois irmãos que não tem outro tipo de diverrsão, além de explorar e brincarem o dia todo. Flo, como é carinhosamente chamada, é a mais velha, tem doze anos (às vezes parece ser uma adulta feita, de modo como fala) e uma imaginação super fértil. Giles é um pequeno menino explorador que segue tudo o que a irmã diz. Eles perderam seus pais muito novos, o que transferiu a guarda das crianças ao seu parente mais próximo, seu tio. Este último é como um espectro o livro inteiro, o que por um lado é bom para entendermos o descaso com que ele trata os dois, nunca aparece sequer para um suporte. 
Florence é muito curiosa, quando descobre a biblioteca então, fica maravilhosa, mas não sabe ler e também nem pode, pois seu tutor é completamente contra a educação das mulheres. O motivo fica um pouco obscuro no livro. A menina então aprendeu a ler sozinha, arrancando algumas dicas dos funcionários da casa, ela não só aprendeu a ler inglês, como também francês e latim (mesmo sem nunca ouvir uma pronuncia)! No começo eu até simpatizei com a pequena, mas depois a repudiei com todas as minhas forças. 
Bom, o que acontece é que Giles, é mandado à escola e Florence acaba sozinha e entediada, tem os livros como companheiros, mas é inevitável a falta que o alegre Giles faz. Nesse momento conhecemos o Theo Van Hoosier, o menino da casa "ao lado". Ele é asmático, por isso é impedido de ir à escola e tem um tutor em casa para ajudar, mas também sente-se solitário, então encontra em Florence uma forma dos dois contornarem a solidão. O problema começa quando a menina não o quer como companhia, ela o acha chato e desengonçado, ela queria Giles de volta, mas em determinado momento acaba acostumando-se com o jovem asmático Van Hoosier. 
Ela e seu irmão trocam correspondências (a governanta as lê para Florence, mas em nenhum momento é mencionado quem as escreve...), e a menina - creio eu que numa tentativa desesperada de fazer Giles voltar - lê nas entrelinhas que o irmão é maltratado e oprimido. Próximo ao natal, Giles volta com a maravilhosa notícia de que não terá mais que voltar à escola por ser "academicamente retardado", por isso a governanta se vê obrigada a contratar alguma professora para o menino. 
Assim somos apresentados a srta. Whitaker uma jovem e espevitada mocinha, que em circunstâncias duvidosas e pouco depois de descobrir o esconderijo secreto de Florence, morre afogada no rio (pois nunca nos é esclarecido como tudo aconteceu). Pouco depois a srta. Taylor, a mais nova e estranha preceptora, entra na história e à partir daí que não sabemos mais o que Florence imagina e o que é realidade.

***

Li este livro duas vezes e na segunda vez tudo ficou mais claro para mim. Florence dissociava-se da realidade. Falando pelo modo psicológico da história, o medo de perder Giles foi tão intenso, que sua mente passou a criar coisas. É inegável que a srta. Taylor tinha algo a esconder, mas também é evidente que o que ela nunca jamais machucaria Giles. Florence é inteligente, forte e sagaz, mas não tanto para ligar os pontos dessa história. 

Algo que me desanimou muito foi terem alterado o nome original do livro. Certamente "Florence e Giles" iria chamar a atenção, tanto quanto "A Menina Que Não Sabia Ler". Em contrapartida, eu gostei da capa. 




Título Original: Florence e Giles 
Autor: John Harding
Data de Publicação: 2010
Número de Páginas: 288
Classificação: Literatura estrangeira; Mistério/Suspense
Editora: Leya 
Aonde Comprar:


10 comentários :

  1. Eu sempre quis ler esse livro, apesar de já terem me contado o final :T. Minha irmã disse que gostou, já você não. Devo ler para tirar minhas próprias conclusões!

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua própria irmã te contou o final? Que triste. Mas sim, Lidi, leia e quando terminar, me avise. Quero saber sua opinião.

      Beijocas <3

      Excluir
  2. Olá! Tudo bom?
    Ouço e leio coisas ótimas sobre o livro e até o final dele eu já sei - infelizmente. Pena que a sua experiência com o livro não foi boa =/
    Mesmo assim vou ler para ver o que acontece.

    Bjão.
    Diego, Blog Vida & Letras
    www.blogvidaeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Diego, tudo ótimo e com você?
      Esse povo está muito fofoqueiro com o final desse livro, haha.
      Então, é uma pena mesmo. Até agora só li resenhas positivas sobre ele, aí eu fico pensando que o problema não é a Florence, o problema sou eu. :'(

      Enfim, leia. E depois, se não for pedir muito, me conte o que achou?

      Beijocas.

      Excluir
  3. Já li esse livro mas acho que tbm vou precisar relê-lo. Quero fazer isso antes de ler o volume 2.
    Olha, indiquei o blog pra um prêmio.
    Eu Sou Um Pouco De Cada Livro Que Li
    Bjão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, nem me fale. A hora que eu vi que tinha o volume dois, resolvi que iria ler. Não sou de me convencer fácil.
      Vou dar mais uma chance ao Harding.

      Obrigada pelas indicações, preciso normalizar minha vida e respondo.
      Obrigada pelo carinho <3

      Beijocas <3

      Excluir
  4. Oi!! Eu odeio fazer resenhas negativas rsrsrs, e seu aviso retrata muito bem o que sinto ao escrevê-las. Sempre quero que os leitores entendam que resenhar não passa de um ponto de vista, e acaba se tornando algo pessoal.
    De fato o livro não te agradou, mas você acabou lendo-o duas vezes.
    É um livro que nunca chamou minha atenção, apesar do nome e sinopse, e não leria :(
    Beeijos
    lua-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bia! É verdade, resenhas negativas são chatinhas de fazer. Ainda bem que compactuamos com o mesmo sentimento, haha.

      Li duas vezes porque não me conformo com o final, estava tentando me fazer mudar de opinião, mas não deu certo "/

      Beijocas

      Excluir
  5. Oi,tenho os dois volumes, li o um uns anos a trás junto com minha prima nos duas ficamos meio perdidas, descobri que tinha o dois e resolvi esperar para reler o 1 e ler o dois, após ler sua resenha compreendi melhor a história e devo ler ambos esse ano. Isso me lembrou de um filme, chamado The Uninvited , eu super recomendo, você ás vezes pode não gostar, mas achei a experiencia de ver o filme muito legal e de ler o livro também.
    Um beijo, Carol Luca<3
    http://blogdacarolluca.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol,

      eu fui descobrir que tinha o vol. 2 esse ano também, pretendo ler, mas ainda não está nas minhas metas de leitura, haha.
      Sobre o filme, obrigada pela indicação, vou assistir e falar dele provavelmente no #CafofoMovieNight.

      Beijocas

      Excluir