29 de mar de 2016

O Menino do Dedo Verde | resenha.




Às vezes a gente começa a ler uma história porque ela lembra outra e queremos ver o quão parecida com a original ela é. Foi o que aconteceu com "O Menino do Dedo Verde". 
Fui apresentada a Tistu domingo passado, por meu tio. Conforme ele ia fazendo um breve resumo do livro, já o associei com o romance de Saint-Exupéry. Porém, lendo as primeiras páginas, já podemos perceber claramente as diferenças. 

Apesar de ambos os livros serem classificados como infanto-juvenis, seus ensinamentos transcendem a classificação etária dos leitores. Admiro muito os dois autores, pela sensibilidade que tiveram para falar de coisas tão complexas, em uma linguagem tão simples e gostosa de ler. 

Agora, chega de comparação e vamos individualizar os livros e autores. 

19 de mar de 2016

O Fantasma da Ópera | #CafofoMovieNight



Desde a primeira vez que o assisti ele se ternou um dos meus filmes favoritos no mundo. Já tinha ouvido falar  no Fantasma da Ópera e julguei que nunca seria paciente o suficiente para eu encarar um musical de duas horas de canto lírico. Pois eu estava errada: fui tão paciente que já perdi as contas de quantas vezes já assisti. 

3 de mar de 2016

A Menina Que Não Sabia Ler | resenha.





Geralmente minhas resenhas são de livros que eu gosto muito e que além da  própria história em suas páginas, uma outra história em como ele chegou até minha escrivaninha e como me marcou. 
Sinto-lhes em dizer que o livro de que vou falar não tem um história peculiar e muito menos é um livro que eu acho bom. Entretanto tem sim uma história - que tinha tudo para ser "A" história - e a história de como ele me foi apresentado. 
Lançado em 2010, A Menina Que Não Sabia Ler chegou em minhas mãos em meados de setembro de 2011. O título e a capa me atraíram, tanto quanto sua sinópse, instintivamente liguei o nome ao livro "A Menina Que Roubava Livros", o meu livro favorito no mundo, porém como o velho ditado já diz "nunca julgue um livro pela capa", não bastou algumas páginas para que eu desejasse meu dinheiro de volta.