18 de fev de 2016

O Silêncio dos Inocentes (Hannibal #2) | resenha.


Terça-feira tive de resolver umas coisas no centro da cidade e prometi não passar nem perto do sebo, porém como tinha tempo sobrando prometi a mim mesma que seria uma passadinha rápida e inofensiva. Menti. Creio que devo ter passado duas horas olhando as prateleiras em busca de algo novo até que resolvi perguntar às meninas da livraria se havia algo quase tão bom quanto o King e com um quê de terror. Uma das coisas que mais gosto na Pacobello é a atenção e a disposição que os vendedores tem em ajudar, e logo recebi muitas sugestões, dentre uma delas estava o livro que vou falar. Confesso: ele não me pareceu muito atrativo a princípio e a sinopse atrás não me convenceu muito, mas o entusiasmo da menina me deixou curiosa sobre ele. Após respirar fundo (e espiar algumas páginas), no dia  16/02 conheci o doutor Hannibal Lecter.




Entre Ovelhas e Mariposas


" Cinco mulheres são brutalmente assassinadas em diferentes localidades dos Estados Unidos. Para chegar até o sanguinário assassino, uma jovem treinada pelo FBI entrevista o Dr. Hannibal Lecter, um brilhante psiquiatra, cuja a mente está perigosamente voltada ao crime. Ao seguir das pistas apontadas por Lecter, a jovem se vê envolvida numa teia mortífera e surpreendente."


Essa é a premissa sem sal nem pimenta e muito comum do Silêncio dos Inocentes. Já tinha ouvido falar em Thomas Harris, mas nunca tive curiosidade para ler nada dele e muito menos o ligava a Hannibal. Porém este último não é o personagem principal desta história. 

Logo nas primeiras páginas conhecemos Clarice Starling, uma jovem atraente e muito inteligente policial. O chefe de sua seção desejava ela em seu escritório o mais rápido possível, ela mais que prontamente foi vê-lo e este revelava que ela tinha um serviço para fazer - era mais indicada já que estava indo muito bem nos testes de academia e é do tipo "durona". Depois de algumas perguntas sobre suas habilidades em avaliar um perfil psicológico eis que foi dado a jovem policial seu árduo trabalho: avaliar o Dr. Hannibal Lecter, o canibal. Este não cooperava muito com o FBI, não aceitava nenhuma das barganhas e segundo ele não tinha nada para falar. Clarice seria a última tentativa do Agente Especial Crawford. 

Ao chegar no manicômio  logo de cara odiou o responsável pelo lugar. O Dr. Frederick Chilton deu em cima da policial e está não cedeu, foi rude com ele e a partir daquele instante soube que Chilton iria ser uma pedra no sapato de Starling e de Jack Crawford. Após as ríspidas instruções de como proceder com o dr. Lecter, ela foi encaminhada por um longo corredor até sua cela.

Descobriu em Lecter uma mente brilhante e perigosa, em momento algum ele a tratou com desdém ou foi hostil com ela, mas ambos estavam se avaliando. Ao contrário do outro policial, Hannibal falou com ela e demonstrou interesse em ajudá-la. Em determinado momento da conversa o psiquiatra perguntou sobre "Bufalo-Bill", ele gostaria de ter acesso a investigação. "Bufalo-Bill" foi o nome que a Inteligência deu ao assassino de cinco mulheres das quais ele arranca suas peles do tórax e dorso, deixando apenas as peles da cabeça e membros. Mais alguns minutos de conversa e Lecter praticamente dissecou a policial com perguntas e não quis falar mais. Clarice foi andando pelo corredor até que um preso atirou esperma no rosto e ombro, esgotada e cansada ouviu Lecter chamando seu nome e ainda relutando voltou a cela. Lecter disse que sentia muito pelo que acabou de acontecer e resolveu recompensa-la dizendo que seu persente estava no carro de Raspail
Refletindo se recordou do nome supracitado. Raspail foi uma vítima de Hannibal. Ele era um músico e paciente do psiquiatra e por alguma razão que ela ainda iria descobrir qual era, Lecter o matou e serviu seus órgãos no jantar.  Clarice foi atrás do tal carro, dentro dele encontrou uma pasta com vários cartões do dia dos namorados e uma cabeça humana de alguém ainda desconhecido.
Quando tornou a visitar dr. Lecter este estava quieto, mas queria que Clarice o questionasse sobre Bufalo Bill, em resposta ela afirmou que não estava no caso. Pensando no assunto que a trouxera ali perguntou de quem era a cabeça encontrada, Lecter disse ser o amante de Raspail, que por sua vez gabava-se de te-lo matado depois de descobrir que ele era infiel, Lecter afirmou veementemente que não acreditava na história romanceada pelo músico - foi algo mais banal e erótico, talvez até acidental. Starling quis saber o motivo que levou o psiquiatra a assassinar Raspail; ele limitou-se a responder "- (...) fiquei enjoado, farto de seus lamentos (...) A terapia não levava a parte alguma.". O que se sucedeu foi um "toma-lá-da-cá" de perguntas e respostas rápidas e por fim Lecter revelou que poderia ajudar a pegar Bufalo-Bill, se o Agente Crawford desse a Hannibal o que ele queria e por fim fez duas revelações: Bufalo Bill iria escalpar (tirar o couro-cabeludo) a próxima vítima e tinha uma casa de dois andares.
Starling tinha que conciliar suas provas finais da Academia do FBI, com o caso que agora estava ligada e sua ansiedade acerca de Lecter e Bufalo Bill. Quando a próxima vítima foi encontrada, ela estava de fato sem o couro-cabeludo e Jack Crawford deu à Clarice a pasta do caso Bufalo Bill.  Em sua trajetória, Clarice fez certas observações que ninguém mais teria feito e somado com a ajuda de Hannibal Lecter pareceram estar no caminho certo para a captura do assassino mais bizarro dos Estados Unidos. 


  ***
Eu praticamente respirei Thomas Harris nesses dois dias. O livro é ótimo, em momento algum você se perde na leitura e nos personagens. O foco principal não é desviado o desfecho é surpreendente, a maneira que o serial-killer é apresentado aos leitores não é chocante, Harris preparou bem o terreno antes de introduzir "Bufalo Bill" na história. Em determinado momento eu cheguei até a simpatizar com o dr. Hannibal Lecter admirando sua inteligência, mas mantendo em mente  que ele é um predador.


Em 1991 foi lançado nos Estados Unidos o filme baseado no thriller acima. Concorreu ao Oscar e foi vencedor em cinco categorias, uma das melhores premiações de todos os tempos.

Eu ainda não assisti, mas já providenciei para assistir até o final de semana, assim que terminar vou pular aqui no blog e contar o que achei. 







Título Original: The Silence Of The Lambs
Autor: Thomas Harris
Data de Publicação: 1988
Número de Páginas: 318
Classificação: Horror; Literatura Estrangeira
Editora: Record, relançado pela BestBolso



7 comentários :

  1. "Passadinha rápida e inofensiva" que acabou resultando na compra de um livro, hahahaha, tão eu!
    Já tinha visto esse livro antes, mas acabei deixando pra lá. Agora deu vontade de lê-lo.
    Seguindo o blog!
    Bjs.
    http://eusouumpoucodecadalivroqueli.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, passadinhas demoradas e nada inofensivas... Pois é, por fora ele não é nada atrativo, mas logo nas primeiras páginas já dá pra ter uma ideia do que está por vir. Se você ler, me conta o que achou?
      <3 beijocas

      Excluir
  2. Tenho esse livro pelo mesmo motivo que você , uma breve passadinha no sebo kkkk
    Mas confesso não ter lido e por fim coloquei para troca essa semana , porque sou medrosa, mas acho que vou tentar ler.
    Olha existem 3 livros com Hannibal e 3 filmes já vi dois desses filmes e amei. Meu namorado está vendo a série de tv Hannibal, mas é muito sanguinária e canibal ao extremo então eu dispensei kkkk
    Acho que vai gostar do filme, porém não recomendo ver no horário do almoço.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obaaaa! Eu só conheci este por indicação mesmo... aí enquanto fazia a pesquisa para o post p=vi que tinham mais dois e seus respectivos filmes. Assisti um trecho e quase infartei (não tenho estômago, haha). Mas já que você vai dar uma chance ao livro, eu darei uma chance aos filmes.
      Beijocas

      Excluir
  3. Oi Rebeca,

    Estou simplesmente apaixonada pela sua descrição do livro, a cada linha que lia pensava "meodeos, preciso ler esse livro" e quando não já me sentia quase que entrando na atmosfera da história. O pouco que sei de Hannibal é da série que assisti e por enquanto fico muito perdida, as vezes sinto até pena do meu namorada que assisti comigo, fico enchendo ele de pergunta, sendo que ele sabe tanto quanto eu da série hahaha. Com certeza, já está na lista de livros para ler!!

    Beijos, Le.

    Refração Cultural

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom! De verdade. Adoro instigar as pessoas com livros. Nunca tinha assistido nada sobre ele, até que meu marido trouxe o filme - que a propósito está intacto porque eu morro de medo. Fiquei curiosa a respeito da série... mas sei que só vou assistir caso seja obrigada mesmo.
      Quando ler, volta e me conta o que achou? Adoro ouvir as opiniões das pessoas, acho fascinante.

      Beijocas

      Excluir