13 de jan de 2016

JOYLAND | resenha.

Primeira resenha depois de quase dois anos!!!!!!!!!! (muitas exclamações, porque estou feliz de verdade).
Bom, primeiramente sejam bem-vindos e espero que eu inspire vocês com os livros que irei postar, então sem mais delongas: BEM VINDOS A TEMPORADA 2016 DO CAFOFO.


E bom tem muitos livros que eu quero postar, mas escolhi um que me tocou bastante e diria que foi a leitura do ano de 2015. 

Joyland, escrito por Stephen King, lançado em junho de 2013 nos Estados Unidos e publicado aqui no Brasil em 2015 pela editora Suma de letras. Particularmente classifico o livro como “King Para Menores” por ser um romance policial e com nuances de terror bem leve. Segundo os sites  StephenKing.br e King Of Maine, o livro já ganhou uma edição ilustrada e de capa dura(apenas na terra do Tio San).
A capa do livro é uma referência as garotas de Hollywood, personagens do próprio livro que trabalhavam no parque. Remete aos romances policiais produzidos em papel barato.
Assim que lançado, como era de se esperar, ocupou o topo da lista do New York Times.



Se nada der certo: fuja para um parque de diversões!

Depois de uma desilusão amorosa Devin Jones encontra Joyland numa seção de classificados em negrito dizendo “TRABALHE NO PARAÍSO” sentiu-se tentado preencheu o formulário para trabalhar em período integral.
Foi à entrevista para ser o novo Ajudante Feliz do parque e ganhou um passe de visitante para conhecer suas atrações e também a “belezura” com vista privilegiada: Carolina Spin – “onde o ar é pouco e a vista é coisa de louco”. Devin aceitou o trabalho e ganhou um apelido pelo querido Lane Hardy, o operador da roda-gigante e o sr. Músculos em pessoa. Lá do alto pode conhecer os brinquedos e seções do parque, entendendo porque Joyland era o paraíso. Após descer da Spin, conheceu a Madame Fortuna – a vidente do parque que dividia opiniões se ela tinha mesmo um quê mediúnico. Sendo ela uma charlatona ou não, Rozzie (seu apelido nas horas vagas) disse a Dev que ele iria conhecer alguém com muito sexto sentido. Na verdade duas crianças estavam em seu futuro, uma menina com uma boneca e um menino com um cão. Sendo assim, um deles tinha sexto sentido. 
Dev achou estranho, mas não contestou. Conseguiu o emprego e previsões de graça.
E por falar em mistério, descobriu que Joyland tinha um segredo: uma garota foi morta na horror house e o assassino (seu suposto namorado) nunca foi encontrado. Então vamos juntar as peças do quebra cabeça: o que é melhor para curar um coração partido do que um mistério não resolvido? Para isso Dev contou com a ajuda de Tom e Erin, ambos também pela primeira vez em Joyland buscando um emprego no verão.
Dev logo caiu nas graças de todo mundo por ser um cara gente boa e após salvar uma criança engasgada (primeira previsão) caiu nas graças do chefe do parque, que fica devendo um favor a ele.
A segunda previsão de Madame Fortuna que foi concretizada um pouquinho depois, quando conhece Mike, seu cachorro e sua mãe. Sempre tendo o mistério de Linda Gray na mente, começa a se envolver com a família do garoto que tem uma doença que o deixa muito cansado, além dessa doença, o garoto possui um certo... sexto sentido.
Dev e Mike tornam-se amigos, a principio contra a vontade de sua mãe, mas depois ela também fica encantada por Dev.
Mike de certa forma é essencial para que Jonesy se esquecesse de vez da ex namorada e se concentrasse nas coisas boas da vida. Seria bom se o livro terminasse assim, mas não. O livro tem um final triste, bem triste. Ah, e sem querer dar mais spoilers que o necessário: o mistério de Linda Gray foi solucionado, mas Dev nunca chegou a ver o fantasma. Quem o viu foi o mais cético do trio: Tom e por isso quis sair de Joyland o mais rápido possível.
***
Neste livro King nos presenteia com uma personagem em primeira pessoa, tornando o livro mais pessoal e sentimental. Tem uma narrativa “leve” e diferente de seu estilo habitual.
Confesso que por muitas vezes fiquei apreensiva e esperando que um monstro bizarro saísse de dentro do parque assustando a todos - o que não aconteceu. Joyland não se tornou desinteressante por isso, pelo contrário, Joyland cativa da primeira a última (triste) página.

Título Original: Joyland
Editora: Suma de letras
Ano de lançamento no Brasil: 2015
Autor: Stephen King
Número de Páginas: 239
Aonde comprar: Livraria Saraiva -  R$29,90


2 comentários :

  1. Olá, tudo bem? Ainda não tive a oportunidade de ler algum livro do King, mas só vejo resenhas positivas e muitas indicações! Tenho um certo bloqueio porque morro de medo de filmes de terror, imagina com o livro né? Mas ainda vou tentar haha

    Adorei o Blog e já estou seguindo, te convido a visitar o meu!
    Beijos,
    Ana | Blog Entre Páginas
    www.entrepaginasblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana, entendo seu bloqueio já fui assim. Não assisto filmes de terror nem que me paguem, mas os livros não me dão medo (exceto "o cemitério", esse dá muito medo). O King é meu autor favorito no mundo, e se você quiser posso te indicar uns mais brandos dele só para ver se você se interessa...
      Já te disse que eu amei seu blog? haha, obrigada por me seguir.
      Beijocas

      Excluir